O PLANETA EXISTE SEM A HUMANIDADE, MAS A RECÍPROCA NÃO É VERDADEIRA. CABE ÀQUELES QUE TÊM CONSCIÊNCIA, ILUMINAR O CAMINHO – SEM SOLIDARIEDADE NÃO HÁ SOCIEDADE. UNIDOS SOMOS MAIS FORTES. CIDADE SUSTENTÁVEL JÁ!


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Busca bendita

O silêncio da noite barulhenta cortou a paz dos meus ouvidos, embrulhou o ar com um faro de estranheza – algo estava suspenso nos acontecimentos quer no futuro, quer no aqui e agora -, meu animal pressentia o perigo pelo ritmo cardíaco como um tambor de alerta! Quem ama a vida e tudo que ela contém sabe que uma parte aciona a outra num momento de risco - aquele que não responde pela fluidez do cosmos -; ataques à floresta, às crianças, às mulheres, aos animais e tantos indefesos quanto possamos elencar. Onde está o espírito racional humano?
Todos os dias quando o sol me acorda o meu agradecimento ecoa pela planície, sacode as árvores e faz as folhas dançarem com o vento que me acaricia. E são os meus pés na terra que me ligam ao tempo-espaço de existir – sinto os organismos do planeta vibrando na pele e conversando com os meus – nada há de mais sublime que entender o que significa ser parte do Todo. Se os olhos vislumbram flores multicoloridas com borboletas beijoqueiras, os ouvidos captam a sinfonia de pássaros, macacos, sapos e tantos seres do planeta. A lua trazida pela noite convida os lobos uivantes e as corujas observadoras ambos coadjuvantes da minha dança em torno da fogueira.
Não é preciso viver na floresta para sentí-la, amá-la, respeitá-la e protegê-la, mas apenas resgatar a verdade que transcende crenças ou normas ou lendas: o organismo vivo que a mesma contém nos alimenta e se alimenta do nosso espírito – uma perfeita interação corpo e espírito. Então, se hoje desmatamos as florestas assim como toda e qualquer mata nativa é porque perdemos o fio da vida – a razão para viver – assim estamos soltos na existência sem passado, sem presente e sem futuro... 
Tentamos nos agarrar a qualquer coisa para nos lembrarmos de quem somos, mas também o porquê de estarmos aqui. Não encontraremos a resposta infelizmente até que possamos perceber o fluido vivo a partir da inteligência cósmica. E tão simplesmente ao respirarmos de braços abertos, num relâmpago sempre generoso da existência, enfim percebermos que existimos na extensão de tudo e de todos que nos cercam. Que os Guardiões dos Segredos do Universo nos amparem nesta busca bendita!