O PLANETA EXISTE SEM A HUMANIDADE, MAS A RECÍPROCA NÃO É VERDADEIRA. CABE ÀQUELES QUE TÊM CONSCIÊNCIA, ILUMINAR O CAMINHO – SEM SOLIDARIEDADE NÃO HÁ SOCIEDADE. UNIDOS SOMOS MAIS FORTES. CIDADE SUSTENTÁVEL JÁ!


quinta-feira, 17 de maio de 2012

Desabafo na rede

‎Falar de céu é bom, mas falar do meu papel na sociedade é fundamental. Sem palavras chulas e agressões bizarras, a cidadania no sistema de governo democrático é princípio básico de questionamento pelo eleitor. Aquele que não se informa não tem o direito de reclamar, não obstante seu silêncio deflagrar omissão quando a estrutura política não atende aos princípios básicos. Eu sou apartidária exatamente porque a minha nação compreende todo o território mapeado e eu só existo se a sociedade em que estou inserida for respeitada, do contrário sou forasteira no meu próprio espaço. Se for o medo que atinge a liberdade de expressão neste momento, então meu texto “sistema cara-de-pau” deflagrou o perfil da rede social que há meses venho pesquisando: falsos libertários!



*Todos os direitos autorais das obras – textos e imagens - expostas no blog são propriedade de Monica Mendes.*

Sistema cara-de-pau

É como eu sempre alerto: em mar de tubarão, sardinha vira isca!
Tanto a imprensa precisa agir com total liberdade de expressão como a justiça deve em seus poderes cumprir a sua missão. O que há no cenário sócio-político dessa nação provém da legislação arcaica e da moral questionável da sociedade. Há muitos omissos sedentos das vantagens obscuras e raros respondendo pela honra. Da mesma forma a imprensa não pode ocupar a responsabilidade além da sua missão - informar -, a jurisprudência está em outra profissão. Igualmente, a justiça não pode transferir para a imprensa a enorme letargia dos "Poderes da União" no foco de um país mais honesto.
Simples assim!
Quem dera esse momento de penumbra fizesse o castelo de carta desmoronar.
Qual nada! Os naipes apenas mudam de lugar...
Transparência fica só na louça.
E ainda ousam com o slogan redundante: "pais rico é país sem pobreza".
Mundo insano.