O PLANETA EXISTE SEM A HUMANIDADE, MAS A RECÍPROCA NÃO É VERDADEIRA. CABE ÀQUELES QUE TÊM CONSCIÊNCIA, ILUMINAR O CAMINHO – SEM SOLIDARIEDADE NÃO HÁ SOCIEDADE. UNIDOS SOMOS MAIS FORTES. CIDADE SUSTENTÁVEL JÁ!


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Acorde para um caminho real

Saúde mental é o reconhecimento de cada parte da vida para ser vivida: dificuldades enfrentadas, alegrias desfrutadas, profissão honrada, poder aquisitivo conquistado dignamente, família com amor nascido e formado, entre outros aspectos. Assim é a arquiteturammholística-arqmonicamendes: um ambiente que vibre tais aspectos relevantes da existência humana na Terra.
Como projetar um ambiente perfeito sem a consciência do que a palavra realmente significa?
Através do Estudo holístico que eu faço o perfil humano é desenhado, logo, o mapa de necessidades traça os caminhos de cada ambiente, através da cor e forma (leia “Fluidez de energia no projeto”). Também é importante calcular ventilação e iluminação compatíveis com a função da edificação e a região onde o projeto é implantado. Além do mapa do Estudo holístico há o mapa de Influências dos quatro elementos relacionando perfil da terra, trajetória do vento, radiação solar nas quatro estações e fontes hídricas (leia “O espírito do projeto”).
Assim sendo, as partes do Todo são representadas graficamente. A sustentabilidade provém do sustento, ou seja, a meta do futuro é uma edificação autossustentável com o consumo consciente de produtos e fontes de energia, gestão do lixo, higiene e organização do ambiente como saúde das entidades vivas existentes no local (seres humanos, flora e fauna) e, finalmente o saneamento (que não é básico) como responsabilidade conjunta dos gestores da cidade sustentável (poderes público e privado) e sociedade civil – leia “A ótica holística da sustentabilidade”. 
Concluindo, a técnica precisa de inteligência emocional para criar um planeta perfeito, se e somente se, a poesia descrever o espaço-tempo. Outrossim, considero a perfeição uma meta, não uma realidade. Vale uma reflexão sobre o texto.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Fronteira do coração

A crise no mundo fez com que muitos seres humanos deixassem para trás suas nações e patrimônios, a fim de, preservar a própria vida e da família. Há quem bloqueie o acesso e ignore a necessidade de sobrevivência desses imigrantes. A Terra não impôs fronteira à humanidade.
Os Xamãs - precursores da crença no planeta - avisaram aos Druidas e Celtas que a falência da humanidade seria a ganância pela terra, pois ninguém é dono dos quatro elementos. O ser humano é que carrega a fronteira no coração. Eis um tempo precioso para os animais racionais: qualificação do coração como fizeram com a mente e os cofres.
Toda crise aponta uma renovação, resta usar todo o conhecimento amealhado para transcender à miséria que a ganância desenhou para uma entidade viva, a qual foi dotada de inteligência para trazer luz de sabedoria à vida e não a escuridão da ignorância. Como oram os Lakota-Sioux "Mitakuye Oyasin" - "Somos uma só família". Carpe diem minha tribo com um sol no chacra frontal.