O PLANETA EXISTE SEM A HUMANIDADE, MAS A RECÍPROCA NÃO É VERDADEIRA. CABE ÀQUELES QUE TÊM CONSCIÊNCIA, ILUMINAR O CAMINHO – SEM SOLIDARIEDADE NÃO HÁ SOCIEDADE. UNIDOS SOMOS MAIS FORTES. CIDADE SUSTENTÁVEL JÁ!


domingo, 27 de novembro de 2011

Nação vazia

A sombra do silêncio é longa e, tanto, que agiganta a solidão, que não é triste. Uma nuvem pode ser uma hora aqui, outrora acolá. Nenhuma palavra cobre a verdade que não foi, nem o fato falso feito fio afiado da faca. A mentira fica esquecida, na gaveta em arquivo morto, pelo extermínio do justo proposto. Se a insanidade é lembrança, a normalidade é esquecimento. A meta é rentável, porque a razão se perdeu. Gente forma rebanho, gado vale gente. O mato queima a voz, o verde esconde o lar. O vento não enche o bolso, mas é livre o rio da alma. O sol aqueceu o pensamento, porém ofuscou a memória. Tudo vendido, por uma nação vazia.

Esta é a bandeira de uma nação que respeita o meio ambiente, a sociedade e a matéria prima do seu território. Por definição estrutural: o verde das florestas na base, a trama de um tecido natural e belo das cidades no plano intermediário e o céu limpo da emissão de gases do efeito estufa - perfeita!
É a sua "bandeira"?

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Rebelde

Quando você sabe de que lado da vida escolheu ficar, realmente não há sentido no julgamento, apenas retire do seu convívio aqueles que não combinam com você – simples assim! A personalidade do “rebelde autoaceitado” é perseguida, tanto quanto é imitada por muitos, mas somente uma parcela mínima da humanidade consegue vislumbrar essa qualidade refinada de identidade humana. Há uma comunidade científica consciente dessas “divindades”, mas há um grupo pseudo científico, cujo conceito compromete deveras os próximos exemplos da maior riqueza comportamental do Universo.
Ser rebelde não é infringir leis, tampouco criar conflitos que ponham em risco a sua integridade assim como a de muitos. O comportamento de este ser humano especial é atento ao que é justo diante da dinâmica universal, a única crença que ele reconhece é a vida, o único criador que ele reconhece é o que existe dentro de cada ser humano em sua complexidade adorável. É uma personalidade adoradora da Existência. Obviamente ama tudo o que existe e respeita o lugar que escolheu para viver. O mistério do universo reside nesse verdadeiro ouro alquímico em forma humana, espalhado por aí. Sem considerações românticas, é um ser perfumado de paz, amor, riso e dignidade. Ah, a intrínseca intensidade apaixonante do rebelde transborda uma sensualidade assombrosa, mas não é promíscuo nem vulgar, simplesmente porque é um ser amante da pureza, ou seja, sexo é puro à essência verdadeiramente inteligente.
A capacidade, o talento e a determinação são tão fortes, que muitas vezes suas atitudes exemplares são confundidas como diversas ações mundanas. O “rebelde autoaceitado” não está contra algo, mas a favor da verdade universal. É determinado, não ditador. É objetivo, não frio. É generoso, não tolo. É inteligente, não máquina de repetição. É clarividente e clariaudiente, não um médio ou discípulo doutrinado para determinados fins. Ao cruzar o caminho de alguém, esse exemplo de “Teia da Vida” sem qualquer sombra de dúvida, espalha o seu “Fio” e a vida se renova, um novo roteiro ressurge magistralmente. 
Enfim, vale uma respiração profunda com o olhar focado no centro do “Universo Perfeito” para perceber o suave “Sinal” dessa presença humana magnífica e tão bela que até o "Diabo" ajuda, afinal, forças antagônicas verdadeiras conhecem profundamente os seus limites para permanecer na eternidade da “Mandala da Vida” – esse é o verdadeiro conceito de plenitude.
Este texto é dedicado aos seres humanos que possuem a percepção aguçada exercitando sábia e generosamente os seus dons - a minha profunda gratidão pela convivência respeitosa -, igualmente um alerta objetivo aos que ainda confundem as definições dos adjetivos na conduta cotidiana.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Caçador de almas

Um texto bom captura a alma! Acalme o seu coração, o fato é um encantamento acordado entre as palavras e a ilusão que a leitura tem na sua dinâmica. Cada momento é uma visão, um desdobramento. Há livros que são indicados para várias idades sendo interessante anotar a mensagem percebida, só para acompanhar o desenvolvimento humano. As palavras têm vida própria quando envolvidas pela pontuação, ambas completamente comprometidas com o tema, conduzindo o olhar até a emoção absorver a mensagem desenhada. 
Criatividade é a razão pela qual esse fenômeno apaixonante fluindo como a luz, ganha o mundo. Há quem diga “autor desconhecido” sobre uma obra que viajou tanto pela distração de apoio à “Propriedade Intelectual”, que foi incorporada ao cotidiano da humanidade – o autor e o conteúdo se espalharam!
Quiçá no futuro as palavras conquistam o poder de curar a humanidade dela mesma, corrigindo os erros com os ensinamentos escritos da mesma forma que destrói. Se nesse fluxo, os textos salvarem vidas pela internet, então esta será a civilização da felicidade, pois a tecnologia conseguirá superar a carga letal que lhe tem sido atribuída a exemplo da guerra bélica, usina nuclear e guerra química. 
Resumo dessa excitante ópera: controle aquilo que o texto captura em você, de tal forma a sua inteligência emocional justifique o padrão se real ou imaginário, se lógico ou inverossímil. A partir desse momento, qualquer ficção pode deflagrar sua ira ou não, um romance pode trazer uma linguagem de liberdade na direção da solução que carrega oculta no seu coração e mente, ou articular os possíveis ensinamentos no foco sempre do bem comum. O que não pode acontecer jamais é o uso das palavras do autor para agir no livre arbítrio, agredindo o mesmo por uma causa que é somente sua ou atribuindo um poder ao texto que existe em comum acordo com sua mente e coração. Um texto sempre será a soma de “Conhecimento” pela informação que oferece com a “Inteligência” representando a percepção humana de quem o lê, sobretudo a mensagem quando transformando o cenário numa imagem positiva responderá pela “Sabedoria”. Ao ler um bom texto, não subjugue o autor aos seus medos nem esperanças, porque ninguém nesse mundo frágil é bom o suficiente para ser eleito pela humanidade um “Caçador de Almas”!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Fluidez de energia no projeto

Muitas pessoas perguntam-me através do blog arquiteturamm holística - arqmonicamendes como garantir a fluidez de energia no local através do projeto. Então, nós precisamos de alguns dados para comprovar o invisível! Qual a composição físico-química do ser humano? O átomo é tanto a síntese formadora do corpo como o que o alimenta, onde as inúmeras combinações geram energia e manutenção desta máquina magnífica – nós somos em configuração comprovada pela ciência à composição da poeira das estrelas. Essa fluidez de energia que não para até o último suspiro, também produz cor e aroma, assim como tem seu termômetro em variações de temperatura, da mesma forma que o fogo e a água e o ar e a terra. 
A genética traz a identidade que automaticamente misturada aos aspectos anteriores mencionados desenham um comportamento que ao longo da vida com o incremento da formação familiar, intelectual e religiosa traçam definitivamente o desempenho do ser humano, consequentemente a sua vida e o padrão de convivência que o circunda – porque os semelhantes se atraem. Então, vamos fazer uma à parte para a citação: “os opostos se atraem” na física para polos negativo e positivo no foco do equilíbrio energético das forças antagônicas pelo conceito universal, mas quando afirmo “os semelhantes se atraem” é com relação às mentes humanas com os seus corpos energéticos quer positivos, quer negativos. Observe um fato interessante: a vibração positiva de um ser humano é tão desconfortável para o outro que vibre a negativa, que automaticamente ocorre a repulsa, porém se há o equilíbrio o ser humano convive imune às variações em função de possuir ambos os polos em vibração harmônica.
Cromoterapia por definição é a terapia pela cor. Feng Shui significa a fluidez do ar e da água no ambiente. Aromaterapia é a terapia pelo aroma. Reiki é a filosofia de cura pela projeção de energia através das mãos em curta e longa distância no foco físico e espiritual. Xamanismo é o culto dos pajés e curandeiros com ervas, danças, músicas, filosofias, culto à natureza e animais do poder. Todos os elementos usados nessas filosofias de cura estão ligados aos desdobrados das emoções, os quais reproduzem energia, em suma, um ciclo vital. Da mesma forma que a ciência tenta provar o “Big Bang” no “Conversor de Partícula”, a fluidez de energia e a harmonização do ambiente buscam na “arquiteturamm holística” essa prova do igualmente invisível poder que movimenta o mundo. 
Concluindo, a resposta à pergunta de muitas pessoas é demonstrada nestes projetos arquitetônicos, os quais não utilizam mecanismos mágicos, mas ciência ao mapear espaço físico, filosofia pessoal para identificar preferências espaciais, composição físico-química do ambiente e do usuário na harmonização de tudo o que é disposto no projeto, perfil sócio-econômico do usuário e da região onde o projeto está inserido, a fim de que o custo da ambientação seja acessível e não se desvalorize pelo entorno. Acima de qualquer aspecto está à percepção extrassensorial que capta as frequências energéticas do ambiente e do usuário como um dado fundamental. É a “Teia de aranha” na malha requintada de interferências no foco da mandala, que é o ciclo da vida. Tudo porque aquilo que não é visto pela maioria, quando interfere na vida diretamente, solicita uma ação de controle e com certeza a interpretação das forças propostas, com a finalidade de atingir o equilíbrio tão perseguido pelo ser humano. Felicidade não se compra, mas pode ser paga uma bela meta calculada, numa projeção do espaço ideal por um profissional competente e comprometido com a harmonia de outrem. A arquiteturamm holística - arqmonicamendes é um estilo de vida, assim como, alimentação natural, vida saudável, meditação, cura holística, entre outros, o que vai de encontro a sua autoestima.
Observe alguns locais abertos ou fechados que geram energia e manifestam alteração de padrão no usuário como, por exemplo, templo religioso, cemitério, trilha ecológica, teatro, cinema, instituição de ensino, shopping, deserto, mar, cachoeira, museu, restaurante, uma estrada livre para direção, avenida com trânsito congestionado, ambiente de trabalho, Stoneheng, pirâmides, Machu Picchu, etc. Agora compare com uma nova leitura ao texto. Boa sorte!
A propósito, este texto foi elaborado para atender aos incrédulos quanto ao trabalho executado pela arquiteturamm holística - arqmonicamendes, no entanto aos crédulos é uma homenagem e um expressivo agradecimento, em face de demandar pesquisa e didática para esclarecer da forma mais eloquente o assunto - fluidez de energia no projeto de arquitetura. Entendam definitivamente que energia é ciência, logo, desenvolvê-la simultaneamente permeada à filosofia é concebível, outra combinação que ignore a sua origem óbvia, inevitavelmente incorre em insipiência na carência de conhecimento e inteligência, desistindo definitivamente da sabedoria.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Estudo holístico na decoração de ambiente

Executo este trabalho através da arquiteturamm holística - arqmonicamendes pela análise técnica de projeto e perceptiva baseada em Cromoterapia, Reiki, Feng Shui, Aromaterapia e Xamanismo, sobretudo na compreensão da legislação e da tecnologia vigentes na construção civil pela ótica da sustentabilidade. Observe que as mudanças no ambiente estão diretamente ligadas às mudanças pessoais, cujo resultado sempre será no foco do equilíbrio. 
Há uma adequação dos espaços, funções, fluxos, cores, formas, tal que, o usuário compatibilize e desenvolva a vida com saúde (física, mental, emocional e espiritual) e projeções auspiciosas para o futuro; o ganho sempre advém de uma mente saudável, onde perpetuar o padrão é condição “cinequanon”. Uma arquitetura autossustentável é o ideal. Vale um olhar amoroso e responsável para o ambiente de convivência tanto interno como externo.
A saúde não existe isolada, por isso é tão importante cuidar do espaço onde inserimos nosso cotidiano. Há inúmeros conflitos no deslocamento diário (insegurança, trânsito, distúrbios sociais diversos, etc.) para cumprimos algumas atividades, mas se criamos referências espaciais de aconchego e equilíbrio todas as tarefas fluirão com saúde plena, consequentemente a vida se projeta com harmonia e o sucesso representa o resultado evidente. 
Um acessório ou móvel que muda de lugar. Uma cor na parede ou estofado com a cortina. O aroma específico, a iluminação adequada, a organização de espaço (armazenar CD, DVD, livro, revista, etc.), enfim, com um simples toque baseado no Estudo holístico a mesma peça incrementada com outra cor ou textura ou lugar do ambiente resultará numa fluidez e prosperidade, consequentemente uma mudança de comportamento do usuário, a qual movimentará a mente e a emoção de forma saudável, alegre e criativa. Contrate-o através do email exposto no perfil. A vida moderna precisa direcionar o bem estar a partir do próprio núcleo de convivência (residência, escola, trabalho, lazer, etc.). A arquiteturamm holística - arqmonicamendes objetiva a felicidade sempre!

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Mapa do tempo

Todo ser humano possui percepção de forma, cor e aroma direcionando o seu espaço desde a criação do mundo – nas cavernas pelo conceito de habitat – até os dias de hoje percorrendo os diversos caminhos das civilizações, os quais sofrem influências econômicas, políticas, sociais e religiosas. 
A economia determina o que pode ser adquirido e como, mas também quem adquire – aquisição movimenta uma sociedade em qualquer sistema de governo e a ascenção da construção civil. A organização política determina o perfil dos gestores públicos e privados (vinculados às parcerias nos empreendimentos públicos) da ocasião desenhando um mapa de gostos e disponibilidades no planejamento através dos programas de desenvolvimento. O conceito social é fundamental porque não só esclarece o perfil atuante como projeta o ideal direcionando na concepção modular (normalmente a cada cinco anos evolutivos da sociedade) observando as diversas funções das obras. A religião passeia pela forma e representa uma inspiração histórica haja vista o design dos templos seja no monumentalismo seja na arte dos afrescos imemoriais – uma linguagem perpetuada.
O mapa do tempo da arquiteturamm holística - arqmonicamendes direciona a percepção sutil sobre cada usuário para marcar a identidade pessoal no espaço de convivência e configurar um legado, tal que os inúmeros percursos desenhem formas, cores, fluxos e acessórios na impulsão sempre da próxima fase de evolução - sendo um projeto flexível e adaptável. Captar a vibração das cores da aura do usuário e da energia do solo tanto quanto da edificação requer compromisso com a existência seja junto ao planeta seja junto à humanidade. Enfim, uma arquitetura sustentável e contemporânea. O mapa da arquiteturamm holística - arqmonicamendes está diretamente ligado às normas de conduta do planejamento no “O espírito do projeto” exposto neste blog.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

A teia

A teia decorou a minha casa vazia há algum tempo (em razão de viagens). A aranha nem perguntou se a locação estava disponível, mas ela sentia uma semelhança com a floresta, sobretudo algo nos remetia a um caminho de descobertas – ofertei-me o desafio.
Grudenta, delicada, destrutível, mas não frágil (a textura do fio tem a capacidade maior que a do aço) a teia subestima a minha inteligência: se é tão ampla, flexível e invasiva porque a pequenina aranha se expõe aos que a desprezam? Outro aspecto curioso para avaliação sob a ótica da sabedoria... Na vã necessidade de sobrevivência pelo rastro dos insetos que a alimentam, ela só descarrega o veneno para imobilizá-lo e assim devorá-lo; no meu caso (humanos) apenas um desconforto na maioria das espécies domésticas ou lesões fatais em algumas espécies como uma pequenina marrom, displicente, doméstica, urbana e traiçoeira. Os Xamãs alertam para o poder feminino que estes seres vivos possuem.
Obvio, não é uma “casa fantasma” que atrai as aranhas e suas teias, mas a redução das florestas e matas nativas mesmo no perímetro urbano, alterando o “habitat” e cadeia alimentar. Lamentável perceber que o ser humano ataca a Mãe Natureza de várias formas como se fosse uma única espécie em importância. Eu percebi durante a humilde observação àquela aranha e sua teia, uma criatividade elegante na trama bordada, também uma determinação com o seu espaço na confecção dos fios, sobretudo paciência para acolher o alimento nos mesmos. 
Agora, eu vou criar no fundo da casa uma minifloresta num projeto de arquitetura que se assemelha a teia: o conceito mágico da mandala da vida pelo talento essencial de tecer os próprios caminhos e respectivos limites. Quem sabe eu aprendo um pouco mais com ela e os filhotes até que os espaços urbanos sejam reflorestados? 
Há muitas espécies de aranhas e teias, portanto o texto não possui o objeto de pesquisa técnica, mas o olhar subjetivo do universo de convivência do meio ambiente onde estamos inseridos com suas belezas e mistérios. Entretanto a “aranha marrom” existe. A foto aponta a floresta urbana porque a imagem da aranha com a sua teia está na poesia da forma como um Todo.

domingo, 26 de junho de 2011

A habitação é um templo de aconchego

Uma das linguagens mais expressivas do ser humano, desde a sua existência no planeta na direção do bem estar, é a habitação. Este espaço chamado de assentamento humano - em inúmeros documentos sobre as normas de sobrevivência adequada - deveria estabelecer um nome emblemático: o lugar de ser feliz. A habitação é um templo de aconchego, onde à família se reúne e traça a evolução daquela espécie, contribuindo para a história de uma sociedade e, por conseguinte de uma civilização. A importância vital da relação de hábitos com o estudo evolutivo do planeta. Quem sabe, com esse apelo os agentes responsáveis pela Cidade Sustentável focassem com mais respeito e, responsabilidade as condições de sobrevivência da humanidade neste planeta magnífico.
O esgoto a céu aberto espalha o odor pelo bairro e, a sensação é de que se estenderá para todos os lugares do mundo. Os insetos proliferam como ficção de terror, o lixo amontoado arremata um cenário dramático como se tudo isso fosse equipamento urbano, mas infelizmente já faz parte da paisagem. Toda a comunidade vive com esse padrão adoçado a sua história e imagem. Eles carregam na roupa, na pele e nos objetos escassos do “habitat” esse conjunto há muito abolido dos padrões de sobrevivência. O que se questiona oportunamente é a cegueira de quem é responsável pela ordem nos assentamentos humanos e seu entorno atendendo às necessidades básicas de vida. Onde está o olhar generoso que tanto mencionam nos folhetins diários? 
Somente quem vive nestes locais e os que transitam sob a imposição de trabalho podem lamentar algo de desumano e irresponsável na gestão urbana, são sobreviventes do caos diário – um sítio de guerra em meio ao desenvolvimento voraz das cidades pseudo-desenvolvidas -, o restante é falácia. Levantar a bandeira do desenvolvimento sem ao menos ler a cartilha do mesmo ou fazer referências ao saneamento básico como se fosse pintura de fachada, quiçá arbitrar sobre equipamentos urbanos sem nem conhecer a malha onde ele está inserido e as necessidades diárias dos usuários, sinceramente, é um abuso institucionalizado. Há muita conversa e pouca ação. Enquanto isso as epidemias se manifestam, trocamos tecnologias por máscaras, conhecimentos por óbitos E famílias por desertos humanos. Há um tsunami todos os dias em inúmeros pontos do mundo que equivocadamente chamam de cidade. E pensar que defendem ardorosamente a sustentabilidade – Estadistas insanos!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

O encontro

Todo ser humano tem o direito a um encontro com a natureza para perceber que não é o único exemplar vivo do universo e quem sabe reconhecer que há muito aprendizado no exercício dos cinco sentidos básicos, quiçá os desdobramentos. Observe que sob um olhar mais cuidadoso, entregue ao momento, a viagem é para o útero tamanho o acolhimento e num relâmpago emocional tudo pode se transformar.
Naquele dia, na subida da trilha pela floresta urbana fui acolhida primeiramente com cheiro da mata fresca descongestionante do meu olfato, simultâneo musical dos inúmeros pássaros aguçou minha audição. Segui em frente embalada pelo corpo leve e sedento do cenário que presenteou minha visão, cruzei cavernas de pedras com forrações vegetais coloridas e povoadas por insetos diversos na direção do som dos tambores em vibração harmoniosa e variada – uma música que me chamou. À medida que me convenci da aproximação, minha face ficou molhada da poeira de água fresca que acelerou meu coração no compasso da música. Abri os arbustos com as mãos trêmulas no tato das folhas e vislumbrei um espetáculo orquestrado das águas: a cachoeira num movimento da nascente para a queda d’água e enfim o desenho do rio livre. A ópera foi um abraço das pedras variadas, na dança dos peixes através do espelho d’água translúcida, das folhagens coloridas, da revoada dos pássaros, das borboletas multiformes com o magnífico som das águas num traçado criativo da paisagem, unidos e harmoniosos pela gratidão que a existência propiciou. Alimentei meu corpo com uma fruta suculenta na provocação do meu paladar naquele momento, a fim de um registro de felicidade material, pois a espiritual foi alimentada pela natureza. 
Olhei para o céu e me encantei com o arco-íris emoldurado na água que jorrou ininterruptamente num salto para a liberdade – o "Pote de Ouro" está ali mesmo. Há os que interpretam sonhos e não vivem, há os que vivem para realizar os sonhos. Definitivamente nada nessa vida me presenteou o silêncio interior como essa vivência bucólica. Envolvida pelo meu "Animal do Poder", sequei meu corpo ao sol, cujos raios invadiam com suavidade aquela tela vital e trouxe comigo a certeza de que nada, absolutamente nada, existe sozinho ou dissociado dos elementos vitais, que compõe o universo. Ainda que o autoconhecimento seja um caminho para dentro, quando você retorna do silêncio consciente há uma serena compreensão do "Todo". Esta é a minha homenagem à mulher – geradora e zeladora da vida -, a 'Mãe Natureza" que acolhe todos os filhos do planeta. Rogo diariamente ao "Universo Perfeito" que transborde o sentimento desse momento na Humanidade, pois sem a Natureza a Arquitetura desaparece também para a história da vida.
Este texto é uma homenagem ao meu Estado do Rio de Janeiro pelo Censo da Mata Atlântica, cujo trabalho honre os "Espíritos da Floresta Urbana" e os nossos "Ancestrais". Que os "Guardiões do Segredos do Universo" se espalhem!

O espírito do projeto

O projeto de arquitetura holística que eu abracei tem um suave mistério. Holismo é teoria de que existe uma tendência à interação dos elementos do universo, as partes que formam o Todo. Assim, considerei as seguintes filosofias: a Cromoterapia, o Reiki, a Aromaterapia, o Feng Shui, o Xamanismo harmonizadas com a técnica padronizada e os estilos nos períodos da arte. Aglutinar tudo isso não é fácil! 
É fundamental respeitar o espírito do lugar, conhecer a história da terra, ouvir as paredes, respirar o paisagismo local e captar os sonhos. Também ler o sol, ouvir o vento, entender a lua, enxergar as cores do entorno e acomodar a água pela origem. Acatar as leis do uso e da ocupação do solo, os parâmetros urbanísticos e a plástica (forma e estilo) do bloco edificado em relação ao local. 
Cada lugar, assim como, cada pessoa possui uma necessidade de cura, um aroma peculiar, uma cor que compatibiliza uma característica espacial e uma expectativa de vida. Há uma compreensão visceral da sustentabilidade.
Um partido arquitetônico jamais interfere no destino do usuário, apenas flui - é um generoso coadjuvante. O espírito do projeto é como o universo e seus elementos (galáxias, planetas, estrelas, asteroides, buracos negros, etc.), cada parte possui uma importância e juntas formam a criatividade, cuja representação é a mandala da vida. O encontro do autor do projeto com o proprietário do local não é um acaso, respondendo às inúmeras trajetórias que a vida desenha.
Diante de uma malha de interferência tão complexa e sutil, o prêmio desse trabalho árduo, porém excitante, é o sorriso espontâneo e a prosperidade do compartilhamento humano, onde a saúde material e a espiritual promovem a esperança de uma vida feliz. O profissional é apenas um veículo, uma ponte para realização dos sonhos.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

O meio ambiente que nos acolhe

Há um sinal trágico de responsabilidade social mundial em importância projetada nas microrregiões onde a proteção ao meio ambiente é ignorada. Há um murmúrio perigoso sobre a criação de um organismo internacional regulador do assunto, quando o Protocolo de Kyoto e a Agenda da Cidade Sustentável foram ignorados por anos a fio. O que prevalece ao mundo das nações é o dinheiro, quando muito uma plantinha na jardineira de um palácio qualquer.
Urge um projeto em malha de interferência com expectativa do desenvolvimento econômico nas regiões e uma preservação ambiental com suas evoluções etárias, em face de haver um período evolutivo no planeta alterando os biomas. Desta forma a lei seria respaldada por uma leitura vinculada à representação gráfica, estabelecendo cientificamente uma estanqueidade de atitudes – sem espaço para distorções e infrações grosseiras.
Há um temor profundo no âmago dos profissionais decentes quanto à banalização da sobrevivência do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável diante do corrupto cenário mundial atual – será necessária a moralização da vida -, observe que até os sítios de guerra em perfis inóspitos e áridos por longos períodos, infelizmente, podem se assemelhar a qualquer região do mundo que desrespeite as normas básicas de consciência ambiental.
Há dois aspectos fundamentais para avaliação, a saber: que significado tem um organismo institucional que não defende a verdade científica a que se propõe e porque não há mapeamento definitivo e incontestável (sobre jurisprudência criminal) definindo a proteção ambiental?
Pelo texto da lei e estatuto vigente o funcionário público que não cumpre sua função sofre penalidades previstas, logo, jamais aconteceria parecer favorável ao erro como é o caso de muitos empreendimentos obstruindo rios e dizimando florestas em detrimento a um caminho energético que carece de postura fielmente científica.
Será mais uma conferência mundial para resolver coisa alguma e carimbar o óbito do planeta desenhado sobre muitas notas de valores monetários mundiais com a assinatura de seus ilustres gestores – triste fim da humanidade!